Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Oh Mãe Vamos Passear

Oh Mãe Vamos Passear

Vamos à descoberta de... Aveiro - 1ª Parte

Avatar do autor A Família M, 27.07.20

A cidade de Aveiro tem uma beleza singular, apaixonou-nos desde o primeiro momento, por isso se ainda não conhecem fiquem com algumas sugestões... 

P1020631 (1)_Fotor_Fotor.jpg(Escadaria em frente ao Hotel Meliá Ria Hotel & Spa)

 

1- Antiga Fábrica de Cerâmica Jeronymo Pereira Campos

A Antiga Fábrica de Cerâmica Jeronymo Pereira Campos foi fundada em 1896 e é considerada um dos melhores exemplares da arquitectura industrial, em barro vermelho, do século XX. Actualmente funciona aqui o Centro Cultural e de Congressos e alguns serviços públicos.

P1020648 (1)_Fotor_Fotor.jpg

P1020745_Fotor_Fotor.jpg

 

2- Passeio de Moliceiro na Ria de Aveiro

A Ria de Aveiro formou-se no século XVI, como resultado de um recuo do mar e, posteriormente, uma formação de cordões litorais que originaram uma laguna, onde as águas doces do rio Vouga se misturam com as águas do mar. Tem uma extensão de 45 quilómetros e largura de cerca de 11 quilómetros.

Para conhecermos melhor a Ria de Aveiro e, consequentemente, a cidade de Aveiro fomos fazer o passeio de moliceiro no Cais da Fonte Nova (em frente à antiga Fábrica de Cerâmica Jeronymo Pereira Campos) através da empresa EcoRia – Empresa Turística da Ria de Aveiro, Lda. 

Os moliceiros são barcos típicos que circulam na Ria de Aveiro, que em tempos foram utilizados para a apanha do moliço (algas), que depois era posto a secar e usado para fertilizar os solos agrícolas. Os miúdos adoraram o passeio, passámos pelo Canal do Cojo (podemos apreciar o edifício da Assembleia Municipal, o centro comercial Fórum Aveiro e a Cerâmica Campos), pelo Canal Central (durante a visita podemos contemplar os mais imponentes edifícios de Arte Nova), pelo Canal das Pirâmides (durante o passeio podemos apreciar as pirâmides de sal branco e o trabalho dos marnotos) e pelo Canal dos Santos Mártires também conhecido como Canal Paraíso. Regressámos de moliceiro ao Cais da Fonte Nova para depois irmos a pé conhecer o centro histórico da cidade.

mapa_generico_aveiro_Fotor.jpgFonte: http://festivaldoscanais.pt/mapa/

  P1020726_Fotor_Fotor.jpg

P1020659 (1)_Fotor_Fotor.jpg

P1020665_Fotor_Fotor.jpg

P1020701_Fotor_Fotor.jpg

P1020674_Fotor_Fotor.jpg

P1020717 (1)_Fotor_Fotor.jpg

P1020805 (1)_Fotor.jpg

 

 3- Ovos Moles de Aveiro

Os ovos moles são um doce típico de Aveiro e foram o primeiro doce a ser certificado em Portugal e são tão bons...

A sua origem é conventual, nesse tempo nos conventos havia abundância de ovos (eram dados como forma de pagamento de foros), pelo que as freiras usavam as claras para engomar os seus hábitos e as gemas para fazer ovos moles, que eram usados como remédio para fortalecer as pessoas doentes. Reza a lenda, que um certo dia, uma freira que estaria em jejum decidiu desobeder e passou a hóstia nos ovos moles e vem daí a ideia do doce dos ovos moles que conhecemos nos dias de hoje. Com a extinção dos conventos, algumas senhoras educadas nos conventos pelas freiras, trazem então a receita e começam a fazê-la em casa e mais tarde a comercializá-la. 

P1040243_Fotor.jpg

 

Na Oficina do Doce, podemos aprender a origem dos Ovos Moles e as suas etapas de produção, foi muito giro dar a conhecer aos pequenos o processo de  fabrico deste doce e terem a oportunidade de participar na sua confecção. A M adorou os ovos moles, o T não gostou, se fossem de chocolate....

Collage_Fotor20.jpgAqui aprendemos que a hóstia é fabricada unicamente a partir de farinha, água e gordura vegetal.

primeira etapa de produção dos ovos moles consiste na separação das gemas das claras e à parte, mas em simultâneo, na preparação da calda de açúcar (colocar ao lume a quantidade certa de água e de açúcar) até atingir o ponto de espadana, aos 117ºC. 

segunda etapa só se inicia depois do ponto de açúcar arrefecer e consiste na incorporação das gemas de ovo.

Na terceira etapa a mistura é cozida a uma temperatura que deverá chegar aos 110ºC.

quarta etapa, consiste no arrefecimento e repouso da massa durante cerca de 24 horas .

Após este período pode-se colocar o doce de ovo nos moldes feitos de hóstia (a hóstia tem de ser previamente humedecida com água), com motivos predominantemente marítimos, como conchas, búzios, peixes, o molde é fechado e depois corta-se. Outra forma de apresentação dos ovos moles é em barricas de madeira pintadas à mão com motivos alusivos à Ria de Aveiro. 

 

E para homenagear os Ovos Moles de Aveiro, surge também, por iniciativa da Confraria dos Ovos Moles de Aveiro, esta escultura de Albano Martins, que faz um tributo a este doce.

P1020736_Fotor.jpg

 

Contactos: 

EcoRia - Empresa Turística da Ria de Aveiro, Lda. 

R. Carlos Silva Melo Guimarães, 3800-126 Aveiro

Telefone: +351 967 088 183

Site:https://ecoria.pt/

 

Oficina do Doce

R. João Mendonça 23, 3800-200 Aveiro

Telefone: +351 234 098 840

Site: https://www.oficinadodoce.com/

 

Sejam Felizes!

A Família M

1 comentário

Comentar post